Como Visualizar os ganhos do YouTube

Recentemente o Google fez duas modificações importantes no YT. A primeira foi monetizar apenas os canais que tivessem, ao menos, mil inscritos e 4.000 horas de visualizações nos últimos 12 meses.
A segunda se refere à visualização dos ganhos. Até então os ganhos eram visualizados na página do AdSense.
O anúncio informou que esses ganhos passariam a ser visualizados apenas na página do YouTube.
A empresa avisou com antecedência a todos com o seguinte aviso:
"Lembre-se de que, em breve, o Google AdSense deixará de exibir métricas do YouTube. O melhor lugar para ver seus ganhos estimados e outras métricas de monetização é o Relatório de receita do YouTube Analytics."
De acordo com a central de ajuda, para ver os ganhos no Relatório de receita do YouTube Analytics, proceda assim:

1. Faça login na sua conta do YouTube.
2. Na parte superior direita, selecione sua conta >;Estúdio de Criação.
3. No menu à esquerda, clique em Analytics >relatório "Receita".
4. Você verá os seguintes tipos de detalhes da receita no relatório:

Detalhes relacionados à receita para os quatro tipos de conteúdo de parceiro (todo conteúdo reivindicado, conteúdo reivindicado enviado por usuários premium e parceiros, conteúdo reivindicado enviado por usuários padrão e todo conteúdo enviado por parceiro)
Detalhes relativos à receita nos níveis do canal e do vídeo (métricas disponíveis são mostradas como "sua" receita)

a. receita estimada do YouTube Red
b. receita estimada de anúncio
c. receita estimada de transações derivada de Locações do YouTube
d. receita estimada.

Os ganhos registrados podem, continuar sendo visualizados na página do AdSense, mas apenas duas semanas após o fechamento do mês. Segundo o Google: "Os ganhos registrados não são transferidos para o Google AdSense até metade do mês seguinte. Ou seja, os ganhos acumulados em junho serão transferidos para o Google AdSense na metade de julho.
Os ganhos registrados do YouTube referentes ao mês anterior são adicionados ao saldo da sua conta do Google AdSense entre os dias 10 e 14 e pagos no mês em questão, se o seu saldo total atingiu o limite mínimo de pagamento e se você não tiver retenções de pagamento."
Dúvidas? coloque sua pergunta nos comentários.


YouTube barra canais pequenos para monetização

O que era esperado, aconteceu. O YouTube enviou mensagem a todos os proprietários de canais que monetizavam seus vídeos, informando que agora exigirá um mínimo de inscritos e de visualizações para que os donos dos canais possam ganhar dinheiro exibindo vídeos na plataforma.
A partir de 20 de Fevereiro, apenas canais com mais de 1.000 inscritos e 4.000 horas de exibição nos últimos 12 meses serão elegíveis para monetizar. Nos demais casos, o canal continuará disponível, mas sem gerar renda.
O Google enviou a seguinte mensagem aos donos de canais:
"Hoje, estamos anunciando alterações no Programa de parcerias do YouTube (YPP, na sigla em inglês). Nossa meta continua sendo manter o YPP disponível ao máximo de canais possível, mas reconhecemos que precisamos de mais medidas de proteção em vigor para preservar a receita dos criadores de conteúdo no ecossistema do YouTube"
Além disso, a empresa explicou, para quem não chegava a esses números, que precisava tomar algumas medidas e mostrou as razões:
"No âmbito dos novos requisitos de qualificação anunciados hoje, seu canal no YouTube,Fulano, não está mais qualificado para geração de receita porque não atinge o novo limite de 4.000 horas de tempo de exibição nos últimos 12 meses e 1.000 assinantes. Como resultado, seu canal perderá o acesso a todas as ferramentas de geração de receita e aos recursos associados ao Programa de parcerias do YouTube em 20 de fevereiro de 2018, a menos que você ultrapasse esse limite nos próximos 30 dias. Assim, esse email serve como aviso prévio de 30 dias de que os termos do seu Programa de parcerias do YouTube foram revogados. "
Na minha opinião foi o início de uma verdadeira profissionalização da plataforma.

Como Gerar o IBAN para o Banco Rendimento

O Banco Rendimento, utilizado pela maioria dos editores para receber os seus ganhos do YouTube ou AdSense, está disponibilizando um gerador de códigos IBAN para ser colocado na página do AdSense. Até o momento, o Banco aceitava outro padrão, composto das letras SEFI e o CPF. Para editores que já tem seus dados inseridos não há a necessidade de nada, mas para os novos editores terão que utilizar o novo padrão conforme informado na própria página do Banco.
Para obter o IBAN de sua conta. Basta inserir o CPF na página disponibilizada pelo banco:

https://www.cambiorendimento.com.br/iban.aspx

Note que o código gerado é personalizado.

Novo Sistema de Cadastro para recebimento de AdSense no Banco Rendimento

Acabei de receber um aviso que o Banco Rendimento está utilizando um novo tipo de cadastro, mais simples e eficiente. O próprio cliente entra na página apropriada e faz a sua inscrição no Portal de câmbio do banco.
No menu da home do banco clique na aba "Op. Google" depois "Cadastro Banco Rendimento" e, na página que se abrir, Clique em "Para fazer o seu cadastro, clique aqui".
Ou pode se acessar a página diretamente através do link:https://www.cambiorendimento.com.br/CAMBIOONLINE/precadastro.aspx?google=S e fazer o cadastro. Assim que tiver maiores informações, postarei aqui.

Como Saber se a minha conta AdSense foi atualizada para o novo sistema de pagamentos do Google

Muitos editores tem se confundido com o novo padrão de pagamentos do Google que agora utiliza o formato IBAN para efetuar as transferências para o Brasil.
As maiores dúvidas recaem no fato que o Google importou os dados das contas antigas, automaticamente, para o novo formato. Assim, os editores já tiveram suas contas atualizadas no banco de dados do Google.
Segundo a empresa, no entanto, apenas 98% das importações teve sucesso. 2% apresentaram erro e terão que ser reinseridas no formulário novo.
A pergunta que fica então é:

Como Saber se a minha conta AdSense foi atualizada para o novo sistema de pagamentos do Google?

Agora o Google tem um código que confirma se a conta já está no padrão novo. Siga os passos abaixo para saber se a sua conta já está no novo formato:

1. Entre na sua página AdSense com login e senha
2. Na página inicial, clique em "Histórico de Pagamentos" na aba "Pagamentos" no menu esquerdo.
3. Verifique no menu superior direito os seguintes itens: Nome do beneficiário, Forma de pagamento e Calendário de pagamentos

Se a sua conta está atualizada, seu nome de beneficiário aparecerá corretamente e logo abaixo, em Forma de pagamento aparecerá a inscrição:

"Transferência eletrônica para conta bancária ...X-XX"
Os 3 últimos números poderão ser os números da sua conta ou do seu CPF. Se forem mostrados, Parabéns. Sua conta está atualizada.

Novo Sistema de Pagamentos do AdSense. Como Informar os dados do Banco Rendimento

Com a nova sistemática de pagamentos do Google AdSense muitos editores se confundiram na hora de preencher os dados no formato IBAN x SWIFT. Até então o sistema privilegiava o formato Banco, Agência e conta, linguagem mais conhecida pelo público brasileiro. O Formato IBAN muito conhecido na Europa, foi instituído pelo Banco Central no Brasil e passado a ser usado a partir de Julho de 2013. Assim, para a inclusão de contas visando transferências internacionais, este código, de 29 caracteres evita erros comuns nas transferências, tendo se mostrado mais seguro nas transações.
Para o Banco Rendimento, no entanto, o Google abriu uma exceção. Devido às peculiaridades do Banco (O Rendimento é o banco mais utilizado pelos editores AdSense para o recebimento de seus valores do exterior) o preenchimento dos dados para quem usa o Rendimento foi simplificado. Não há a necessidade de se utilizar o IBAN, mas simplesmente a Conta e o SWIFT. Como era feito anteriormente.
Atenção há novas formas de inserção do IBAN, informadas aqui:
http://dicasdodan.blogspot.com.br/2014/05/novo-sistema-de-cadastro-para.html
e aqui:
http://dicasdodan.blogspot.com.br/2014/05/novo-sistema-de-cadastro-para.html
 
Para inserir os dados faça assim:
1. Acesse a sua página do AdSense com login e senha
2. Vá até a página inicial (é a default, já deve estar selecionada)
3. No menu à esquerda, no item "Pagamentos" selecione "Configurações de pagamento"
4. Deverá aparecer a seguinte página:



Não se preocupe com os dados que aparecerem na página. Mesmo que você tenha uma conta cadastrada, os dados de uma conta genérica (normalmente com final "8-72" aparecerão).

A seguir, clique em + Adicionar nova conta bancária .
Deverá ser mostrada a seguinte tela:















Preencha com os dados do Rendimento da seguinte forma:
1. Nome do Titular da conta bancária: O seu nome
2. Nome do Banco: Banco Rendimento S.A.
3. Número da Conta bancária. Para qualquer banco é necessário o código IBAN. Entretanto, para o Rendimento, o Google está aceitando o formato tradicional de conta corrente do banco, já que segue um padrão único. Insira a sua conta corrente no formato “SEFI-XXXXXXXX-XX” onde XXXX é o seu CPF ou CNPJ.
4. Insira no campo "BIC" (Bank Identifier Code) o Código SWIFT do Banco Rendimento: RENDBRSPXXX (informe sempre o SWIFT com os 3 “X”).
Deverá aparecer a tela preenchida da seguinte forma:



















Para finalizar, clique na tela salvar.

IBAN e SWIFT

O Novo sistema de pagamentos para o adSense notificado pelo Google no mês passado deixou muitas dúvidas e incertezas. Nas ficou claro a respeito do que cada editor teria que fazer. Outro assunto que veio à tona foi a Sigla IBAN. Se até então os editores já sabiam como preencher o formulário antigo, o novo deixo uma impressão de "estar faltando algo". Para entender o novo formulário, há que se entender, primeiramente o que representa cada sigla.

BIC é a abreviação, em inglês de BANK IDENTIFIER NUMBER ou Número de identificação do banco. Há diversas formas de se identificar uma conta bancária. As principais são SWIFT ou IBAN (International Bank Account Number). No Brasil o BIC sempre foi representado pelo SWIFT, já na Europa, o IBAN era mais utilizado. O SWIFT (Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication) apresenta alguns problemas. Apesar de ser utilizado como identificado bancário, o número, por si só não é conclusivo. Há que se informar a agência e a conta. Já o IBAN é uma série de números que mostram o Banco, a agência e a conta em um só código. A partir de julho de 2013, todos os bancos foram obrigados pelo Banco Central a oferecer, a pedido do cliente, o IBAN referente à sua conta.

Antes do IBAN, havia diferentes  normas nacionais para a identificação de conta bancária (ou seja, banco, agência, os códigos de roteamento, e número da conta) o que causou confusão para alguns usuários. Isso levou à falta de informações de roteamento necessárias, afetando os  pagamentos. Informações de roteamento, conforme especificado pela ISO 9362 não contém dígitos de verificação, então erros de transcrição não eram detectáveis e não era possível que um banco emissor pudesse validar as informações de roteamento antes de enviar o pagamento.

Esse foi um dos motivos pelo qual o Google simplificou o formulário. Apesar de muitos reclamarem que os novos formulários não apresentam o campo para o preenchimento da agência, com a utilização do IBAN isso não é mais necessário. Basta digitar o número fornecido pelo banco como IBAN a você e digitá-lo no campo conta corrente.


Eu não fiz nada. O que tenho que fazer?

Se na sua página aparecer um aviso com o texto "Sua conta foi atualizada para um novo sistema de pagamentos. Saiba mais." Nada precisará ser feito. Parabéns a atualização foi feita pelo próprio Google.

Já tenho uma conta. O que devo fazer?

Se você já está cadastrado no AdSense, o próprio Google atualizou a sua conta para o novo sistema. A princípio você não terá com o que se preocupar. Segundo a empresa, 98% das contas dos editores foram transferidos para o novo formato.

Minha Conta não foi alterada. O que fazer?

Se em sua plataforma aparecer um aviso de que não foi possível alterar a sua conta de forma automática, você deverá fazê-lo de forma manual. Basta preencher o novo formulário preenchendo os campos:

Nome do titular da conta bancária

Nome do banco

Número da conta bancária

BIC

Tenho conta no Banco Rendimento. Como é o IBAN de minha conta?

Segundo o Google, pela peculiaridade do número da conta do Banco Rendimento, este código pode ser preenchido.

O Banco não me deu o IBAN. Como faço?

O Próprio correntista até poderia gerar o seu próprio código. Mas em mais de 29 caracteres, a chance de errar é muito grande. Mesmo assim, a forma de se compor o IBAN é a que segue:

Quantidade total de caracteres: 29

- 2 caracteres alfanuméricos correspondentes ao código do País conforme norma ISO 3166

- 2 dígitos verificadores (mod 97) conforme norma ISO 7064 faixa de 02 a 98

- 8 caracteres numéricos correspondentes ao identificador da instituição financeira – ISPB, conforme lista de participantes do STR divulgada no site do Bacen.

- 5 caracteres numéricos correspondentes à identificação da agência bancária (sem dígito verificador)

- 10 caracteres numéricos correspondentes ao número de conta do cliente (com dígito verificador)

- 1 caractere alfanumérico correspondente ao tipo conta, conforme dicionário de tipos do Catálogo de Mensagens e de Arquivos do SFN

- 1 caractere alfanumérico correspondente à identificação do titular da conta, de acordo com a ordem na listagem de titulares - sendo “1” para o primeiro ou único titular, “2” para o segundo titular, “A” para o décimo titular, e assim por diante, utilizando os caracteres alfabéticos de “A”  a “Z” (incluindo “K”, “Y” e “W”) para os titulares a partir do décimo.

Referências oficiais ao IBAN podem ser obtidas aqui: http://www.bcb.gov.br/?iban

O que são Lances de CPE - Custo por Envolvimento

Recentemente tem aparecido nos relatórios dos editores do AdSense um novo tipo de Lance. Além dos já conhecidos Lances por CPC (Custo por clique) e CPM (Custo por mil) surgiram os misteriosos Lances por CPE. Este tipo de lance tem oferecido um RPM bem superior aos demais, mas poucos entenderam do que se trata, exatamente.
Os anúncios que possuem estas características não pagam quando o visitante do site clica ou visualiza o anúncio, mas sim quando "interage" com o mesmo.
Segundo o Google "Os Anúncios de Envolvimento cativam os consumidores com mensagens ricas e criativas. Eles são ajustados e otimizados para o engajamento do cliente, em vez de cliques e conversões. Os Anúncios de Envolvimento ajudam a encontrar novos clientes, interessados na mensagem de sua marca e possibilitam que você pague somente quando os usuários interagirem."
São anúncios exibidos na rede de Display do AdSense de tamanho padrão que se expandem dois segundos após o visitante passar o mouse pelo anúncio. Esse atraso é proposital evitando pagamentos para quem apenas passou o mouse pelo anúncio acidentalmente.
Atualmente os anúncios aparecem nos formatos Lightbox que se expandem ao passar o Mouse e aqueles reproduzidos ao passar o cursor.

Um exemplo de Lightbox pode ser visto abaixo:

 

Quando o Mouse passa pelo anúncio, uma barra de contagem de 2 segundos surge sobreposta:















Se o usuário aguardar os dois segundos aparece o anúncio final ocupando quase a totalidade da tela:


O AdSense está pedindo o IBAN. E agora? o que é IBAN?

Milhares de editores se viram abandonados quando o Google informou as novas regras de pagamentos. Sem muitos detalhes específicos para o nosso país. Mensagens sem muita ajuda acabaram sendo traduzidas do inglês aumentando ainda mais a confusão dos editores brasileiros a respeito sobre o que fazer. Principalmente pela falta de banco intermediário, sem local para colocar a agência entre outras coisas no novo formulário.
Ao que tudo indica, o AdSense irá utilizar o IBAN no Brasil. Uma circular do Banco Central obriga as instituições financeiras do país a usar este código para transferências internacionais. O Código IBAN faz uso das normas da ISO 13.616. Veja a seguir o que diz a circular 3.625 de 14/02/2013 (em azul):

BANCO CENTRAL DO BRASIL

DIRETORIA COLEGIADA

CIRCULAR N 3.625, DE 14 DE FEVEREIRO DE 2013

Institui formato padrão para identificação de contas bancárias mantidas no Brasil para fins de transferências internacionais de fundos (formato IBAN) e regulamenta a sua utilização.

A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 14 de fevereiro de 2013, com base no art. 11, inciso VII, da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, no art. 10 da Lei nº 10.214, de 27 de março de 2001, e nos arts. 4º, 10 e 11 da Resolução nº 2.882, de 30 de agosto de 2001, tendo em vista o disposto no Voto 139/2012-BCB, de 26 de junho de 2012, resolve:

Art. 1º Fica instituído o padrão ISO 13.616 (International Bank Account Number - IBAN) como formato padrão para a identificação de contas bancárias mantidas no Brasil nas transferências internacionais de fundos, denominado formato IBAN para fins desta Circular.

Art. 2º O formato IBAN, composto por 29 caracteres, segue o seguinte critério de formação:

I - dois caracteres alfanuméricos correspondentes ao código do País, conforme a norma ISO 3.166-1;

II - dois dígitos verificadores (mod 97), conforme a norma ISO 7.064;

III - oito caracteres numéricos correspondentes ao identificador da instituição financeira (ISPB), conforme a lista de participantes do Sistema de Transferência de Reservas (STR) divulgada no sítio do Banco Central do Brasil (BCB);

IV - cinco caracteres numéricos correspondentes à identificação da agência bancária (sem dígito verificador);

V - dez caracteres numéricos correspondentes ao número de conta do cliente (com dígito verificador);

VI - um caractere alfanumérico correspondente ao tipo de conta, conforme dicionário de tipos do Catálogo de Mensagens e de Arquivos do SFN (2º caractere); e

VII - um caractere alfanumérico correspondente à identificação do titular da conta, de acordo com a ordem na listagem de titulares.

§ 1º A identificação do titular da conta, de que trata o inciso VII, será realizada mediante:

I - a atribuição dos numerais "1" para o primeiro ou único titular, "2" para o segundo titular e assim por diante, até o nono titular;

II - a atribuição das letras A para o décimo titular, B para o décimo primeiro e assim por diante, utilizando os caracteres alfabéticos de A a Z (incluindo K, W e Y).

§ 2º A validação do formato padrão não deve diferenciar caracteres maiúsculos e minúsculos.

§ 3º Os campos numéricos devem, sempre que necessário, ser preenchidos com zeros à esquerda.

§ 4º A apresentação do formato IBAN deve ser feita em grupos de quatro caracteres separados por espaço, com todos os caracteres em maiúsculo, com vistas a facilitar a sua automação e a sua leitura, inclusive a eletrônica.

Art. 3º As instituições financeiras, com referência às transferências internacionais de fundos para crédito de seus clientes, devem:

I - fornecer a identificação da conta no formato IBAN a seus clientes, a qualquer tempo, sob sua demanda; e

II - acatar as tranferências realizadas com a utilização do formato IBAN, efetuando as validações de sua responsabilidade.

Art. 4º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação, exceto o art. 3º, que entrará em vigor em 1º de julho de 2013.

ALDO LUIZ MENDES

Diretor de Política Monetária


Ou seja, acredito que doravante as coisas ficarão mais faceis, já que um um único número identificará todas as informações bancárias das contas do editor. O problema deverá ser obter esse número junto às instituições financeiras. Se obter o SWIFT com poucos caracteres já é uma dificuldade, o que não dizer do IBAN com 29...